Pesquisar este blog

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Sequência Didática A Princesa e a Ervilha



BAIXAR SEQUÊNCIA COMPLETA AQUI
Eixo: Leitura

Capacidades
- Desenvolver atitudes e disposições favoráveis à leitura
- Identificar diferentes gêneros textuais, considerando sua função social, seu circuito comunicativo e suas características linguístico-discursivas.
- Antecipar conteúdos de textos a serem lidos a partir do suporte, do gênero, da contextualização, das características gráficas e de conhecimentos prévios sobre o tema.
- Levantar e confirmar hipóteses relativas ao conteúdo de passagens diversas do texto que está sendo lido.
-Compreender globalmente os textos lidos, identificando o tema central, sendo capaz de localizar informações explícitas e de inferir informações implícitas, inter-relacionando essas informações no processo de compreensão.
- Inferir, pelo contexto o sentido das palavras ou expressões.
- Reconhecer a presença de diferentes enunciadores (narrador, personagens, participantes de diálogo, enfim quem assume a voz), nos textos lidos, identificando as marcas gráficas e linguísticas que sinalizam suas vozes (aspas, dois pontos, travessão, emprego do verbo na 1ª pessoa, emprego do pronome você nos textos publicitários, discurso direto e indireto, etc.).
- Identificar os elementos que constroem a narrativa (lugar, tempo, o fato propriamente dito, com quem os fatos ocorrem, sob que ponto de vista a história ou o fato é narrado), como também reconhecer o que deu origem à história ou ao fato narrado, isto é, o conflito gerador do enredo.
- Reconhecer os elementos que compõem a cadeia de referentes de um texto, compreendendo o processo de introdução e de retomada de informações possibilitado pelo emprego de pronomes, como os pessoais, os demonstrativos, os possessivos, relativos, e pelo emprego de sinônimos ou expressões do mesmo campo semântico.
- Perceber a pontuação como um dos elementos orientadores na produção de sentido.

Eixo: Desenvolvimento da oralidade

Capacidades
  • Participar das interações cotidianas em sala de aula:
    -escutando com atenção e compreensão;
    -respondendo às questões propostas pelo professor
    -expondo opiniões nos debates com os colegas e com o professor

                         A Princesa e a Ervilha
Era uma vez um príncipe que queria se casar com uma princesa, mas uma princesa de verdade, de sangue real meeeeesmo. Viajou pelo mundo inteiro, à procura da princesa dos seus sonhos, mas todas as que encontrava tinham algum defeito. Não é que faltassem princesas, não: havia de sobra, mas a dificuldade era saber se realmente eram de sangue real. E o príncipe retornou ao seu castelo, muito triste e desiludido, pois queria muito casar com uma princesa de verdade.
Uma noite desabou uma tempestade medonha. Chovia desabaladamente, com trovoadas, raios, relâmpagos. Um espetáculo tremendo! De repente bateram à porta do castelo, e o rei em pessoa foi atender, pois os criados estavam ocupados enxugando as salas cujas janelas foram abertas pela tempestade.
Era uma moça, que dizia ser uma princesa. Mas estava encharcada de tal maneira, os cabelos escorrendo, as roupas grudadas ao corpo, os sapatos quase desmanchando... que era difícil acreditar que fosse realmente uma princesa real.
A moça tanto afirmou que era uma princesa que a rainha pensou numa forma de provar se o que ela dizia era verdade. Ordenou que sua criada de confiança empilhasse vinte colchões no quarto de hóspedes e colocou sob eles uma ervilha. Aquela seria a cama da “princesa”.
A moça estranhou a altura da cama, mas conseguiu, com a ajuda de uma escada, se deitar.
No dia seguinte, a rainha perguntou como ela havia dormido.
— Oh! Não consegui dormir — respondeu a moça, — havia algo duro na minha cama, e me deixou até manchas roxas no corpo!
O rei, a rainha e o príncipe se olharam com surpresa. A moça era realmente uma princesa! Só mesmo uma princesa verdadeira teria pele tão sensível para sentir um grão de ervilha sob vinte colchões!!!
O príncipe casou com a princesa, feliz da vida, e a ervilha foi enviada para um museu, e ainda deve estar por lá...
Acredite se quiser, mas esta história realmente aconteceu!

Adaptado do conto de Hans Christian Andersen


Interpretação oral do Conto:
Antecipação
·        O nome desse conto é?
·        Alguém já conhece esse conto?
·        Pela ilustração podemos imaginar como será este conto?
·        Vocês conhecem uma princesa?
·        O que será que ela está fazendo?
·        Onde ela está?
·        Podemos fazer uma leitura, observando as imagens ilustradas na capa do livro. O que você imagina que será contado nesse livro?
 Professor,
Para trabalhar as capacidades de “ler com compreensão e desenvolver a oralidade", exercitando a escrita e a fala, sugerimos o uso da metodologia “Pausa Protocolada” que vai lhe permitir interromper a leitura e fazer questionamento aos alunos, instigando-os a levantar hipóteses sobre o conteúdo do texto antes de lê-lo integralmente ou ouvir a leitura feita pelo colega ou por você. A metodologia “Pausa Protocolada” requer de você:
·        Estudo profundo do texto;
·        Dividir o texto em partes;
·        Elaborar questões, para cada parte, que provoquem o levantamento de hipóteses;
·        Prever uma estratégia de monitoramento da oralidade (fala e escrita);
Ex: uso de um bastão ou outro objeto que vai equilibrar o momento de fala e escrita.
Fale para as crianças que a história “A Princesa e a Ervilha” será apresentada por partes e que, vamos imaginar o que vai acontecer em cada uma delas.


BAIXAR SEQUÊNCIA COMPLETA AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário