Pesquisar este blog

domingo, 14 de maio de 2017

Sugestões de Atividades para alfabetização

O processo de alfabetização inicia antes da entrada da criança na escola; é natural, espontânea, e acontece pelo contato com as coisas que há no meio em que a criança vive. Por isso, é comum que a criança inicie sua aprendizagem do sistema de escrita nos mais variados contextos. A escrita faz parte do mundo da criança, ela trabalha cognitivamente desde muito cedo utilizando informações das mais variadas procedências: embalagens, cartazes de rua, TV, peças de vestuário, livros, revistas, seu próprio nome. Portanto, não faz sentido deixar a criança à margem da língua escrita.
A produção deste material tem como objetivo fornecer suportes e sugestões aos professores de alfabetização que trabalham com alunos não alfabetizados e/ou com dificuldades no processo de construção da leitura e escrita. A ideia é apoiar e fortalecer o trabalho das Unidades de Ensino, de modo que contribua diretamente com a qualidade do ensino, alcançando assim resultados significativos no processo de alfabetização dos nossos alunos. Este material é composto por textos sobre o processo de alfabetização e letramento, concepções acerca da leitura e escrita, compreensão do sistema de escrita e a função social, os níveis da escrita, atividades iniciais de alfabetização, sugestões de atividades práticas de leitura, além de sugestões de atividades de alfabetização.

1. ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

A alfabetização consiste no aprendizado do alfabeto e de sua utilização como código de comunicação. De um modo mais abrangente, a alfabetização é definida como um processo no qual o indivíduo constrói a gramática e suas variações. Esse processo não se resume apenas na aquisição dessas habilidades mecânicas (codificação e decodificação) do ato de ler, mas na capacidade de interpretar, compreender, criticar, resignificar e produzir conhecimento. 
Todas essas capacidades citadas anteriormente, só serão concretizadas se os alunos tiverem acesso a todos os tipos de portadores de textos. O aluno precisa encontrar os usos sociais da leitura e da escrita. A alfabetização envolve também o desenvolvimento de novas formas de compreensão e uso da linguagem de uma maneira geral. 
Alfabetização pode ser definida como o domínio da linguagem oral e da consciência metalinguística: capacidade de manipular e refletir intencionalmente sobre a linguagem, de falar, ler, escrever de forma competente.
A alfabetização de um indivíduo promove sua socialização, já que possibilita o estabelecimento de novos tipos de trocas simbólicas com outros indivíduos, acesso a bens culturais e a facilidades oferecidas pelas instituições sociais. A alfabetização é um fator propulsor do exercício consciente da cidadania e do desenvolvimento da sociedade como um todo. 
Letramento é entendido hoje como a capacidade de dominar a leitura e a escrita, neste sentido uma pessoa letrada é aquela que as domina e utiliza com competência, em seu meio social, pois só assim o indivíduo se tornará alfabetizado e letrado. De acordo com a autora Soares há a necessidade de diferenciá-los, pois pode-se confundir os dois processos, gerando assim um conflito na compreensão dos mesmos; e ao aproximá-los percebemos que a alfabetização pode modificar o entendimento de letramento, como ao mesmo tempo depende dele.
 Segundo Soares (2003), o termo letramento surgiu em 1980, como verdadeira condição para sobrevivência e a conquista da cidadania, no contexto das transformações culturais, sociais, políticas, econômicas e SUGESTÕES DE ATIVIDADES DE ALFABETIZAÇÃO SAEP - Sistema de Avaliação Educacional de Palmas – TO Página 5 tecnológicas. Ampliando, assim o sentido do que tradicionalmente se conhecia por alfabetização. Letramento não é necessariamente o resultado de ensinar a ler e a escrever. É o estado ou a condição que adquire um grupo social ou um indivíduo como consequência de ter-se apropriado da escrita (SOARES, 2003). 
Surge, então, um novo sentido para o adjetivo letrado, que significava apenas “que, ou o que é versado em letras ou literatura; literato” (MICHAELIS), e que agora passa a caracterizar o indivíduo que, sabendo ler ou não, convive com as práticas de leitura e escrita. Por exemplo, quando um pai lê uma história para seu filho dormir, a criança está em um processo de letramento, está convivendo com as práticas de leitura e escrita. “Letramento é o conjunto de práticas ligadas à leitura e à escrita em que os indivíduos se envolvem em seu contexto social.” (Soares, 2000). Não se deve, portanto, restringir a caracterização de um indivíduo letrado ao que domina apenas a técnica de escrever (ser alfabetizado), mas sim aquele que utiliza a escrita e sabe "responder às exigências de leitura e escrita que a sociedade faz continuamente".

Nenhum comentário:

Postar um comentário