Coleção: Instrumentos da Alfabetização

CONHECER, INTERVIR, REFLETIR: INSTRUMENTOS PARA A ALFABETIZAÇÃO  Apresentação da proposta da Coleção para que o professor, ao mesmo tempo, desenvolva sua formação continuada, realize experiências em sala de aula e reflita sobre elas. Sempre tendo em vista os três primeiros anos do Ensino Fundamental de nove anos, um período decisivo para a alfabetização.

COMO A COLEÇÃO ESTÁ ORGANIZADA 
Os cinco volumes que compõem o núcleo inicial da Coleção e seus principais objetivos: mostrar como e por que usar a Coleção na formação continuada, em estudos autônomos, individual ou coletivamente (vol.1); conhecer as capacidades da alfabetização e uma proposta para sua distribuição ao longo dos anos iniciais da Educação Fundamental (vol.2); fazer diagnósticos do conhecimento dos alunos (vol.3); planejar (vol.4); acompanhar e avaliar (vol.5)

 COMO UTILIZAR A COLEÇÃO 
A organização dos volumes 15 Para facilitar a utilização e o estudo da Coleção, esta parte apresenta os diferentes recursos utilizados, como o próprio Sumário, boxes, pontos-chave, subtítulos e atividades, dentre outros. Assim fica mais fácil usar os diferentes volumes no dia-a-dia. 

Como estudar e utilizar a Coleção?  Sugestões para auxiliar o desenvolvimento de estudos autônomos, sobretudo em grupos. Apresenta princípios para regular o trabalho em grupo, estratégias de leitura individual e dinâmicas de estudo em grupo. Para que o trabalho coletivo não se torne assistemático, sugere procedimentos de planejamento do trabalho.

POR QUE ESTUDAR? 
 Analisa um caso de criança não alfabetizada na 4ª série da Educação Fundamental para caracterizar problemas enfrentados pela escola brasileira. Fornece também, ao mesmo tempo, um modelo de apresentação de estudo de caso, que pode ser usado para analisar outros casos, nos estudos em grupo. 

Fracasso na alfabetização? 

Caracteriza os problemas enfrentados pela escola brasileira na alfabetização. Para isso, analisa dados de avaliações do sistema de ensino que mostram que mais da metade das crianças chegam ao 4º ano com sérios problemas de leitura. 

O fracasso não é novo 
Quais são as origens dos problemas de alfabetização que enfrentamos hoje? Defende que as dificuldades que enfrentamos no presente não são dificuldades novas. Fazem parte de uma dificuldade antiga e persistente em nosso país: a de assegurarmos a todos os brasileiros o acesso à escolarização; o acesso a uma escolarização de qualidade, que promova o efetivo domínio da língua escrita. 

O fracasso não recai sobre todos 
Nossas dificuldades em alfabetizar não se manifestam indiscriminadamente: o insucesso da escola se manifesta no caso das crianças e jovens cujas famílias possuem menor renda; têm pouca ou nenhuma escolaridade; são negras. Conclui que a duração da escolarização é um importante fator para a promoção da alfabetização e de níveis complexos de uso da língua escrita. 

Avançamos, mesmo ampliando nosso conceito de alfabetização
 Defende que, apesar de nossas dificuldades, a escola brasileira avançou em matéria de alfabetização, mesmo quando ampliamos, progressivamente, o conceito de alfabetização levando ao surgimento de um novo conceito: letramento. Com base na análise dos problemas da alfabetização no país, defende políticas de ampliação da Educação Fundamental e de maior investimento na Infantil.




Share:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Que tal compartilhar!!!