Pesquise!

Carregando...

Gostou do Blog? Envie uma mensagem contando para seus amigos!

Mostrando postagens com marcador Consciência Negra. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Consciência Negra. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Plano de Aula para 6 aulas sobre Consciência Negra EM.

Tema da Aula: Consciência Negra
Ementa: Proposta de Aula Interdisciplinar Utilizando Recursos Midiáticos
O que o aluno poderá aprender com esta aula: 
O que o aluno poderá aprender com esta aula:



Consciência Negra II. O aluno irá conhecer e refletir sobre a história dos povos africanos, sua origem, sua cultura, entender melhor a origem do povo brasileiro e, conhecer de maneira mais profunda sobre a Lei 10.639/03, numa perspectiva acerca do papel da escola e a obrigatoriedade do ensino de história da África e da cultura afro-brasileira de acordo com PCNs, fazer parte do currículo da escola e na formação da nossa cultura, nomes, comidas, bebidas, danças, ritmos, instrumentos musicais.

O objetivo principal é que o aluno possa compreender a importância que a Lei 10.639/03 representa no contexto sócio-político para a cultura afro-descendente e afro-brasileira e os avanços da luta contra o racismo e preconceito que o País tanto sofre. 
Além desse objetivo é necessário destacar mais alguns relacionados à realidade da sociedade em que vivemos.
1. Reconhecer a historicidade da comemoração do Dia Nacional da Consciência Negra, ou melhor, a percepção desta data como resultante de intensa atividade do movimento negro no Brasil;

2. Desenvolver atividades que visem ao debate sobre os preconceitos que ainda são presentes na sociedade brasileira e à busca de algumas de suas raízes históricas.

3. Promover atividades que acontecem na semana da consciência na escola, de acordo com o projeto pedagógico que é executado;

4. Estimular os alunos à construção de questionário para entrevistar e pesquisar sobre comunidades quilombolas e sobre os afro-descendentes :

Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor, com os alunos (as): 
Os alunos precisarão conhecer ou re-conhecer através de leituras e explicações sobre a Abolição da Escravatura, a História da África, os passos, sua cultura, seus costumes, como vieram para o Brasil, em que circunstâncias.

Por que o Brasil foi o último País da América a acabar com a escravidão? O que foi o movimento Abolicionista?
Como aconteceram as leis Abolicionistas?.
O que significa ser brasileiro (a)?
Por que a maioria dos brasileiros ainda hoje pensa, agem e vêem as pessoas negras de forma preconceituosa?
Qual a nossa relação com outras culturas?
Quais são nossos valores, nossos sentimentos, nossos ideais?
Leituras de textos, músicas em CD(sobre a África)
Formar grupos de dança a caráter para apresentação na turma,
Filmes em DVD: Sugestão do professor- Mauá- O Imperador e o Rei e Kiriku e a Feiticeira (na TV Escola e assistido pelo colaborador (a) do ambiente.

Interdisciplinaridade: 
-Língua Portuguesa: Leituras de textos, produção de textos,
-Matemática: Percentual de escravos no Brasil, Sociologia- Estrutura da sociedade/ desigualdade social,
-Geografia: Características da formação do Brasil antes e hoje, questões sociais e econômicas.
-Artes: Construir cartazes com figuras e desenhos de africanos e afro-descendentes, e afro-brasileiros, ornamentação da sala.

Objetivos:

• Reconhecer e discutir a Lei 10.639/03, que torna obrigatório o ensino da história e cultura da África, e o que ela muda no contexto sócio-político na sociedade atual.

• Fazer um trabalho de conscientização a partir da história e comemoração do dia Nacional da Consciência Negra.
• Perceber que a garantia da comemoração, resulta da intensa luta do movimento negro no Brasil, e saber que quanto mais se fala sobre o assunto mais pessoas começarão a refletir e agir em favor da inclusão da lei nas escolas.
• Desenvolver atividades visando diálogo, discussões e reflexões sobre os preconceitos que ainda são muito presentes na sociedade brasileira, principalmente no ambiente escolar, e a busca de suas raízes históricas.
Público Alvo: Alunos do Ensino Médio (2ª e 3ª série)
Duração das Atividades: 06 aulas de 50min cada.
Conteúdo: Comentário Introdutório:

A partir de 09 de Janeiro de 2003, o governo de Luiz Inácio lula da Silva, sancionou a Lei de nº 10.639/03, que instituiu a obrigatoriedade da inclusão do ensino de História da África e da cultura afro-brasileira nos currículos nas escolas públicas e particulares de ensino da educação básica. Hoje é muito comum quando se fala da cultura africana e do segundo maior continente do planeta fazer pouco caso da pluralidade cultural que caracteriza o Brasil, geralmente acaba se refletindo na sala de aula. As raízes étnicas e socioculturais possibilitam expressar angústias e insatisfações com o preconceito e a discriminação nos currículos, livros didáticos e no cotidiano escolar. Refletir sobre o papel do negro na formação da cultura brasileira. 
Além dos aspectos educacionais, a lei nº 10.639/03 acrescenta que o dia 20 de novembro deve ser inserido no calendário escolar como Dia Nacional da Consciência Negra.

Teoria da Aprendizagem: Contextualizando

O professor iniciará a aula mostrando aos alunos através do data show, mapas do continente africano, cada País, línguas faladas, fotos diversificadas, baixadas da internet, fazer comentários questionando os alunos:

Por que 13 de maio é menos significativo que 20 de novembro? Promovendo através de diálogo uma reflexão sobre o tema da aula.
Você já parou para pensar quantas coisas de origem africana, estamos acostumados a usar, ver e ouvir no nosso dia-a-dia?

Que herança africana é de grande importância para o nosso País, que inclui não só a variedade de palavras, incorporadas á Língua Portuguesa, como também os ritmos e a arte alegre e colorida dos povos da África?

Que mistura de etnias, que inclui os africanos, gerou a diversidade da cor e a riqueza da cultura brasileira?

Estratégias Pedagógicas 
O professor no 1º momento da aula, após fazer questionamentos sobre o tema, a partir de textos e imagens para aprofundar o entendimento e o ensino e aprendizagem, apresentará um filme:

1ª aula- Mauá- o Imperador e o Rei, (os alunos serão orientados a anotarem detalhes importantes para discussão sobre o filme e o tema da aula posteriormente)

2ª aula- discussão e debate sobre a Abolição do Tráfico Escravo, entre outros assuntos, integrar como naquela época se passou a situação política, social e econômica da sociedade de modo geral (anotações serão muito importantes para relatório do grupo, algumas cenas do filme poderão ser exibidas, caso o aluno tenha necessidade)

3ª aula- No início da aula, mais esclarecimentos sobre a 1ª e 2ª aula, em seguida apresentar o filme: Kiriku e a Feiticeira (retrata a respeito da consciência negra e seu desenvolvimento no Brasil atual). Nesta aula a turma será dividida em dois grupos, cada grupo deverá analisar e registra em seu caderno, e o relator de cada grupo em folha separada, e discutir as seguintes questões: 
Do que trata o filme? Quais são os personagens? Qual a moral da história apresentada? Para quê e para quem o filme se direciona (sob que ótica? A realidade apresentada no filme tem relação com o contexto social da comunidade escolar atual?

Em caso negativo, questionar se essa realidade apontada no vídeo está muito distante da escola? O que pode ser feito para melhorar ou mudar essa realidade que afeta, humilha e prejudica a maioria das pessoas?

4ª aula- Produção de textos (digitar e organizar tudo o que foi anotado) Atenção: Para realizar essa atividade o professor tem que reservar o laboratório de Informática, os alunos deverão construir o texto word, para este momento a turma deverá ser dividida em pequenos grupos, para que possam conhecer os países do continente africano e as diversas comunidades quilombolas no Brasil e especificamente no Estado do Amapá.

5ª aula- Os mesmos grupos farão apresentações sobre a cultura africana como: construir textos para expor em mural a partir de leituras em livros, revistas, jornais, filmes, e sites interessantes, danças, e músicas, que se relacione à África e ao Brasil, desenhos, pinturas, jogos e brincadeiras. Tudo o que o aluno construir durante as aulas, servirá para apresentação na semana do Projeto “Consciência negra: uma reflexão sem cor” na escola que acontecerá em novembro/010.

6ª aula: Culminância sobre o tema da aula proposta: todos os grupos farão suas apresentações.

Recursos Educacionais: Ambiente colaborativo TV Escola e LIED (professor colaborador do ambiente), de maneira interdisciplinar os professores das disciplinas de Língua Portuguesa, Geografia, Matemática e Artes com suas atividades específicas integradas ao tema da aula, Vídeo/filme, CD- música, dança, cartazes.

Recursos Complementares: sites interessantes, livros, revistas, jornais, papel, lápis, lápis de cor, pincel, cola, tesoura, data show, computador, internet.

Avaliação: O professor no 1º momento fará uma avaliação dialogada com a turma, sobre as aulas, pesquisas e tudo que foi planejado para que a compreensão e conhecimentos sejam adquiridos sobre o tema proposto; no 2º momento pedirá que aos alunos façam um relatório escrito individual descrevendo pontos positivos e negativos sobre o tema e atividades propostas e executadas, quais os caminhos percorridos, as dificuldades e incertezas surgidas, sugestões para as próximas atividades, etc.

Referência Bibliográfica - Leia a matéria completa em: http://scl.io/k0h3LTuf#gs.vE3hxHk
Retirado de: http://www.geledes.org.br/plano-de-aula-consciencia-negra-ii/#gs.vE3hxHk

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Historinha com Interpretação para o dia da Consciência Negra

Boa tarde!
Trago para vocês neste post um texto com interpretação para ser trabalhado na semana da consciência Negra.



sábado, 15 de novembro de 2014

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

O negro e sua influência na cozinha brasileira


Caça palavras dia da Consciência Negra



segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Diversas atividades para o dia da Consciência Negra Educação Infantil e Ensino Fundamental

cartaz-zumbi-agbr436

Por que comemoramos o Dia da Consciência Negra no dia 20 de novembro?

Saiba mais sobre essa importante data que é
 comemorada do o dia 20 de novembro no Brasil inteiro.

Atividades para alfabetização: Dia da Consciência 

Negra III

Atividade de interpretação do texto “Um dia muito especial”, texto sobre o Dia da
Consciência Negra.

julinho

Dia da Consciência Negra

O Julinho, um menino que sonha ser um grande
cientista no futuro, conta sobre a colaboração dos
 negros para a cultura  brasileira.

Atividades para Educação Infantil: Dia da Consciência 

Negra III

Atividade para pintar sobre o Dia da Consciência Negra para as crianças da
Educação Infantil.

Atividades para Educação Infantil: Dia da Consciência 

Negra II

Atividades para pintar sobre o Dia da Consciência Negra com os personagens
do site Nosso Clubinho.

Atividades para Educação Infantil: Dia da Consciência 

Negra

Atividades para pintar sobre o Dia da Consciência Negra com os personagens
do site Nosso Clubinho.

Atividades para alfabetização: Dia da Consciência 

Negra II

Atividade para alfabetização que trabalha com a interpretação e recitação de um
poema dedicado ao Dia da Consciência Negra.

Atividades para alfabetização: Dia da Consciência

 Negra

Atividade para alfabetização que trabalha com os dias da semana, dias do mês e
um caça-palavras com palavras de origem africana.
Fonte:
Você será direcionado para o site http://www.nossoclubinho.com.br/

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Consciência Negra



Dia da Consciência Negra


O Dia Nacional da Consciência Negra 1 é celebrado em 20 de novembro no Brasil e é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. A semana dentro da qual está esse dia recebe o nome de Semana da Consciência Negra.
A data foi escolhida por coincidir com o dia da morte de Zumbi dos Palmares, em 1695. O Dia da Consciência Negra procura ser uma data para se lembrar da resistência do negro à escravidão de forma geral, desde o primeiro transporte de africanos para o solo brasileiro (1549).
Algumas entidades como o Movimento Negro (o maior do gênero no país) organizam palestras e eventos educativos, visando principalmente crianças negras. Procura-se evitar o desenvolvimento do auto-preconceito, ou seja, da inferiorização perante a sociedade.
Outros temas debatidos pela comunidade negra e que ganham evidência neste dia são: inserção do negro no mercado de trabalho, cotas universitárias, se há discriminação por parte da polícia, identificação de etnias, moda e beleza negra, etc.
O dia é celebrado desde a década de 1960, embora só tenha ampliado seus eventos nos últimos anos.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Consci%C3%AAncia_Negra

Zumbi dos Palmares

Líder do quilombo dos Palmares, Zumbi  nasceu em 1655, em Palmares, atual estado de Alagoas. Era descendente dos guerreiros imbangalas, de Angola. Logo após o seu nascimento fora aprisionado pela expedição de Brás da Rocha Cardoso, e entregue ao Padre Antônio Melo em Porto Calvo.
Foi batizado com o nome de Francisco, aos 10 anos já escrevia português e latim. Aos 15 anos fugiu em busca de suas origens, voltou para o quilombo dos Palmares, onde adotou o nome de Zumbi. No quilombo, derrotou a expedição de Jacome Bezerra, e ferido em conflitos contra as tropas de Manuel Lopes Galvão e Domingos Jorge Velho.
Zumbi comandava as tropas do quilombo governado por Ganga Zumba. Em 1678, liderou um conflito interno, alcançou a liderança do quilombo, e combateu os portugueses durante 14 anos.
Em 1695, reuniu mais de 2000 palmarinos (nativos de palmares), e invadiu povoados de Pernambuco em busca de armas e alimentos. Antônio Soares, um dos líderes das tropas palmarinas, foi capturado e em troca de sua liberdade entregou ao bandeirante André Furtado de Mendonça, o esconderijo de Zumbi.
Zumbi foi capturado e morto em 20 de novembro de 1695.

Fontes
http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/
http://educação.uol.com.br/biografias/ult/789u537j.htm

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Atividades para o dia da consciência negra


domingo, 11 de novembro de 2012

consciência negra: jogo dos sete erros


A influência negra na cozinha brasileira



A influência do negro na cozinha brasileira
             Muitos do alimentos do nosso dia-a-dia são de origem africana.
     Podemos citar o azeite-de-dendê, a pimenta, o feijão-preto e o quiabo.          
        Além disso, os negros nos ensinou a fazer vatapá, caruru, mungunzá, acarajé, angu e pamonha.
           Foram os negros, também, que nos ensinaram a usar as panelas de barro e a colher de pau.
--------------------------------------------------------------------------------------
Circule, no texto, as contribuições do negro para a cozinha brasileira. Escreva abaixo: 
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________

Antes de sair deixe um comentário!