Pesquisar este blog

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

NO TEMPO EM QUE A TELEVISÃO MANDAVA NO CARLINHOS COM DESCRITORES


       A gente tem uma turma bem engraçada. Tem o Catapimba, que joga futebol muito bem; tem o Beto, que sabe tudo o que acontece no bairro; tem o Batata, que é o zagueiro do time da outra rua.

Com o Batata aconteceu uma coisa engraçada. Pelo apelido dele você já pode imaginar como ele era gorducho. Mas também ele vivia comendo o dia inteiro. Tudo o que via anunciado pela televisão ele queria: queijinho que vale por um bifinho, achocolatado da Miúcha, macarrão da Patrícia, milquecheique do Bubu, pipoca do gatinho, biscoito do Xuxu, Coca-bola e tudo! Acho que nem sabia se era gostoso ou se era uma porcaria. Era só mania de ir atrás do que a televisão dizia.

Com isso, ele foi engordando, engordando... Ficou uma bola.

Dona Mariquinhas, que é a mãe dele, vivia querendo que ele comesse verduras, legumes e frutas. Mas se tinha na mesa tomate e linguiça, o que é que você acha que ele comia?

Por causa disso o Carlinhos já ganhou um montão de apelidos: Bola, Bolinha, Bolão, Bolacha, Gordo, e como eu já disse, Batata.

De uns tempos pra cá, ele começou a não gostar dos apelidos. Ele dizia:

- Meu nome é Carlos, não Batata. Se quiser me chamar de Carlão, tudo bem! Mas Bolacha, não!

Mas sabe como é! Quanto mais a gente reclama, mais as pessoas chateiam, né?

Então ele resolveu fazer regime, sem falar com ninguém.

Assim como ele comia tudo o que a televisão mostrava, resolveu fazer também o regime que a televisão mandava.

O Batata viu um anúncio de uma tal de Gororoba Dois Mil, o melhor regime do Brasil! E no anúncio tinha uma porção de moças de biquíni que diziam que tinham emagrecido 200 quilos tomando a tal porcaria! E era tudo importado dos Estados Unidos. Para mim, aquilo vinha da Transilvânia, que é a terra dos vampiros...

Mas o Batata não teve dúvidas: encomendou pelo telefone. Por que será que tem tanta porcaria que a gente pode encomendar por telefone?

Era caríssimo, mas o Bat... quer dizer, o Carlão, pegou todas as economias dele e mandou pelo correio. Recebeu uma caixa cheia de envelopes, que era pra tomar dois por dia: um no almoço e outro no jantar, misturando com água.

Pois o Batata, que vivia comendo o dia inteiro, passou a tomar a Gororoba duas vezes por dia. Tinha sabor de chocolate, sabor morango, sabor baunilha e sei lá mais o quê.

Ele começou a derreter! E estava bem contente!

Mas com o tempo passou a ficar cansado, sem vontade de nada, tinha sono o dia inteiro!

E começou a ter dor de cabeça, enjoo, dor de barriga. Foi só aí que os pais dele descobriram o tal regime!

Dona Mariquinhas e o doutor Mesquita chamaram o médico, que era o médico do Bat... do Carlão há muito tempo. O médico ficou furioso:

- Como é que as autoridades permitem essa propaganda mentirosa?

O médico passou um regime pro Carlinhos de bife, frango, peixe, verduras, legumes e frutas e só um pouco de pão e macarrão e só um pouquinho de manteiga. E disse que ele não tinha nada que comer entre as refeições.

Os pais dele começaram a chatear:

- Viu, meu filho? Eu sempre disse!

- Está vendo? A gente o tempo todo dá conselhos, mas as crianças não atendem!

- Criança é assim mesmo, não tem juízo!

Mas aí que todo mundo teve a maior surpresa:

- Esperem um pouco – o médico disse. – Criança não tem juízo, mas adulto também não tem! Como é que vocês querem que a criança coma alface enquanto os outros comem feijoada? Que coma frutas enquanto os outros comem pudim? Por isso, doutor Mesquita e dona Mariquinhas, esse regime que eu passei para o Carlinhos é para toda a família. O doutor Mesquita está com uma barriga redondinha, dona Mariquinhas está toda cheinha; é bom que todo mundo entre no regime. E nada mais de seguir conselho dos anúncios da televisão.

É bom ver televisão

Mas é preciso lembrar

Todo mundo tem cabeça

Que serve para pensar!

(Fonte: ROCHA, Ruth. No tempo em que a televisão mandava no Carlinhos... São Paulo, FTD, 2000.) 


QUESTÃO 01 (Descritor: identificar o tema central em cada parte do texto.)
Assunto: Interpretação

Numere os parágrafos do texto.
O texto pode ser dividido em três partes.
Primeira parte: do primeiro ao oitavo parágrafo.
Segunda parte: do nono ao décimo sétimo parágrafo.
Terceira parte: do décimo oitavo parágrafo até o final do texto.

Crie subtítulos para cada uma dessas partes, observando o que aconteceu de mais importante em cada uma delas.

QUESTÃO 02 (Descritor: analisar afirmativas a partir das informações implícitas e explícitas do texto.)
 
Assunto: Interpretação
 
Marque as alternativas verdadeiras sobre o Batata:

a) Levava a sério todos os conselhos dos seus pais.
b) Jogava futebol e fazia parte de um time.
c) Sabia tudo o que acontecia no bairro.
d) De todos os apelidos que tinha, o único que gostava era Batata.

QUESTÃO 03 (Descritor: localizar informações explícitas no texto.)

QUESTÃO 04 (Descritor: analisar afirmativas a partir das informações implícitas e explícitas no texto.)
 Assunto: Interpretação 
“Mas sabe como é! Quanto mais a gente reclama, mais as pessoas chateiam, né?”
 O que o narrador quis dizer com essa afirmativa?

a) As pessoas não gostam quando reclamamos dos apelidos que elas nos põem.
b) Reclamar é a única forma de acabar com os apelidos que não agradam.
c) Reclamando mais, a chateação diminui.
d) Não adianta reclamar dos apelidos desagradáveis.
  
QUESTÃO 05 (Descritor: produzir textos coerentes e coesos.)
  
Assunto: Produção de texto

Muitas crianças sofrem por causa de apelidos que não gostam e nem sempre sabem como acabar com o problema. Pensando em ajudar essas crianças, escreva um pequeno texto com conselhos e dicas sobre essa situação.


QUESTÃO 06 (Descritor: localizar informações explícitas no texto e produzir outro texto a partir delas.)

Assunto: Interpretação

“Assim como ele comia tudo o que a televisão mostrava, resolveu fazer também o regime que a televisão mandava.”

Crie um cartaz de propaganda para o regime anunciado na televisão usando apenas as informações dadas no texto. No seu cartaz, você deve colocar: o nome do produto anunciado, a frase de efeito, a imagem usada para convencer o consumidor, local de origem do produto, como fazer o regime e quais os sabores disponíveis.


QUESTÃO 07 (Descritor: explicar o significado de uma expressão, consultando o contexto em que ela foi usada.)

Assunto: Vocabulário

Ao se referir ao regime da televisão feito pelo Batata, o narrador diz: “Para mim, aquilo vinha da Transilvânia, que é a terra dos vampiros...”

Explique o que ele quis dizer ao fazer essa afirmativa.

QUESTÃO 08 (Descritor: explicar o significado de uma expressão, consultando o contexto em que ela foi usada.)

Assunto: Vocabulário

Explique a expressão destacada, de acordo com o texto:

“Ele começou a derreter! E estava bem contente!”

QUESTÃO 9 (Descritor: fazer inferências a partir de informações explícitas do texto.)

Assunto: Interpretação

Propaganda enganosa é a que contém informação falsa, podendo levar o consumidor a comprar um produto ou serviço diferente do que ele queria ou pensava que era. É proibida pela lei.

O médico ficou furioso:
- Como é que as autoridades permitem essa propaganda mentirosa?

Explique por que o médico considerou que a propaganda do regime era enganosa ou mentirosa.

QUESTÃO 10 (Descritor: extrapolar idéias do texto a partir de informações do próprio texto.)

Assunto: Interpretação

“A gente o tempo todo dá conselhos, mas as crianças não atendem!”

a) Que conselhos o Carlinhos não havia seguido?

b) Dê dois exemplos diferentes de conselhos que os pais costumam dar aos filhos.

c) Você segue os conselhos que seus pais lhe dão? Por quê?

d) Escreva um conselho que seus pais já lhe deram e o que você fez com ele.


QUESTÃO 11 (Descritor: analisar afirmativas a partir das informações implícitas e explícitas do texto.)

Assunto: Interpretação

Os pais dele começaram a chatear... Mas aí que todo mundo teve a maior surpresa...

Que surpresa foi essa?

a) O médico concordou com tudo que os pais de Carlinhos disseram.
b) No regime, Carlinhos poderia comer sobremesa se comesse as verduras primeiro.
c) Toda a família teria que fazer o regime.
d) Carlinhos estava proibido de assistir programas na televisão.

QUESTÃO 12 (Descritor: identificar a mensagem implícita em um trecho do texto.)

Assunto: Interpretação

É bom ver televisão
Mas é preciso lembrar
Todo mundo tem cabeça
Que serve para pensar!

Explique a mensagem desses versos.

QUESTÃO 13 (Descritor: diferenciar os artigos definidos e indefinidos quanto ao sentido que produzem no texto.)

Assunto: Artigo definido e artigo indefinido

Carlinhos resolveu fazer também o regime que a televisão mandava.

Se trocarmos “o regime” por “um regime” muda o sentido da frase? Explique.

Nenhum comentário:

Postar um comentário